Copy
ACTIVE AS IMAGENS DO SEU EMAIL.
Clique aqui para ver este email
Share
Forward to Friend

SABIAS QUE...


O Estado comparticipa as instituições mais do que as familias, retirando pessoas com deficiência do seu ambiente familiar?

Comparticipações:

- Lares residenciais: € 951,53 acrescido, sendo que o deficiente tem que AINDA comparticipar até 85% dos seus rendimentos, fora extras como fraldas, medicação, etc;
- Centro de Atividades Ocupacionais: € 482,45 mais 40% dos rendimentos do deficiente;
- Famílias de Acolhimento: € 672,22 mais uma percentagem dos rendimentos do deficiente.

Porém a Família do deficiente, caso possam ser os cuidadores recebe no máximo € 177,79.

PAGAM TANTO PARA INSTITUCIONALIZAREM CIDADÃOS!

O QUE PRETENDEM


"Visto sermos os melhores  peritos nas nossas necessidades, precisamos mostrar que soluções queremos. Precisamos de estar à frente das nossas Vidas, pensar e falar por nós próprios - tal como QUALQUER outra pessoa.
Com este fim temos que nos APOIAR e aprender uns com os outros. organizarmo-nos e trabalharmos por mudanças políticas que conduzam a uma protecção legal dos NOSSOS DIREITOS HUMANOS E CÍVICOS. Somos pessoas comuns partilhando a mesma necessidade: sentirmo-nos incluidos, reconhecidos e amados.

- Enquanto encararmos as nossas incapacidades como tragédias, terão pena de nós.

- Enquanto sentirmos vergonha de quem somos, as nossas vidas serão vistas como inúteis.

- Enquanto ficarmos em silêncio, serão outras pessoas a dizer-nos o que fazer."

Fonte: tetraplegicos.blogspot.pt/
 

VAMOS APOIAR

- Divulgando o evento no facebook (ver aqui o link);

- Reenviando esta newsletter para os teus amigos (no canto superior esquerdo tens um botão que diz "Forward to a Friend" ou partilhando-a no Facebook com o botão "Share");

- Apoiando da forma que puderes ao longo destes dias fazendo eco das partilhas que o Eduardo fizer no facebook ou no seu blog;

Visitando o Eduardo nos locais de passagem dando-lhe incentivo e acarinhando-o. 

Assinando a petiçãoCriação de Legislação SOBRE Residências e Melhoria dos Cuidados prestados a PESSOAS com deficiencia Motora Severa
Um homem da minha vida

Esta newsletter hoje é especial e diferente. É que nem só de coisas bonitas a vida é feita. Se bem que aquilo de que vou falar, apesar de não parecer, Ã© linda !

Começo por contar-te algo muito pessoal.
O meu Pai foi sempre o meu herói. Só com ele andei de montanha-russa porque era o meu herói. Eu sabia que com ele estava sempre segura.
Durante uns anos, esqueci-me disso e pouco antes de ele morrer, na sua luta contra um cancro, voltei a lembrar-me de como ele é meu herói. Mesmo não tendo ganho aquela luta, será sempre. Porque os heróis não o são pelos resultados, mas pelo exemplo de força e perseverança.

Há 3 anos conheci um outro homem que, além do meu pai, foi a única pessoa que mereceu esse lugar especial de herói no meu coração. Um herói de carne e osso, como poderemos ser todos se quisermos.

Peço-te que leias até ao fim, mesmo que te custe ou que não te interesses muito... Se o fizeres talvez aprendas com esta vida exemplar aquilo que eu tenho aprendido.

Conheci-o há 3 anos quando ambos começámos a licenciatura.
Este homem tem a força do guerreiro e é abençoado por uma vontade inabalável de deixar este mundo melhor que nos (co)move. Chama-se Eduardo Jorge.
Ficou tetraplégico com 90% de incapacidade há mais de 20 anos num acidente de trabalho/viação. Vive sozinho porque, não poder andar ou fazer a maior parte das coisas que para nós são naturais, não o impede de ter um espírito livre e de querer manter a sua independência.
Talvez já tenhas ouvido falar dele.

Entre outras iniciativas de luta pelos direitos mais básicos das pessoas com deficiência a que mais que se destacou foi ele ter feito uma greve de fome e pernoitando à porta da Assembleia da República. ver coluna à esquerda com alguns exemplos...
 

Parece que ficava mal deficientes dormirem à frente daquela instituição e o Secretário de Estado prometeu que iam fazer diversas mudanças. Passou um ano e pouco ou nada foi feito.

Vou contar-te o que é que aconteceu ao Eduardo neste ano que passou. Deixou de ter a pessoa que o ajudava, passou semanas terríveis sem apoio apropriado, a sentir-se fragilizado e sem saída, porque os apoios existentes são insuficientes e muitas vezes desadequados á realidade destas pessoas...
Continuou, mesmo assim, a trabalhar. Com o apoio de colegas da faculdade, conseguiu reorganizar-se e arranjar outra pessoa que, não sendo técnica, o ajuda o melhor que sabe e pode. De realçar que ter cuidadores preparados é essencial já que para um tetraplégico cuidados mal executados criam rapidamente graves problemas de saúde.

Agora vou-te contar uma fracção do que o Eduardo Jorge conseguiu fazer neste ano que passou, enquanto o Estado nada cumpriu.
Ele continuou os seus estudos, nunca faltou a uma prova mesmo depois de ter sido medicamente assistido durante a noite toda . Nunca deixou uma cadeira para trás.
Continuou o seu trabalho a tempo inteiro que tem impacto social e que faz a diferença na freguesia onde mora. Fez o seu estágio curricular e está a semanas de terminar a licenciatura.
Continuou a sua intervenção e luta pelos direitos dos deficientes.

Perante um homem com esta força eu, que sempre me senti guerreira, sou uma mera aprendiz.

O Eduardo Jorge é apenas o rosto de uma causa que nos deveria mover a todos. Ele não luta apenas por ele, mas por milhares de pessoas que se vêem privadas de direitos básicos muito simples.... Coisas que tu e eu temos como adquiridas.
Não pretendem mais regalias, mas sim benefícios que as coloquem em igualdade com os restantes cidadãos. 

O Estado não defende o direito destes cidadãos... E por isso o Eduardo vai começar (curiosamente na Semana da Mobilidade) mais uma iniciativa...
 
180 KM - Concavada a Lisboa em cadeira de rodas pelo direito a uma Vida Independente
23, 24 e 25 de Setembro 

Um iniciativa arriscada para qualquer um dadas as condições que as estradas oferecem aos peões, às noites que dormirá ao relento e às consequências para a sua saúde por estar demasiadas horas sentado na cadeira de rodas.

Mas nada o demove (e acredita que tentámos). Ele tem uma missão e recusa-se a viver e a ser menos do que aquilo que merece!

Se leste até aqui, não preciso de te explicar porque é que este homem me toca, porque é que ele merece esta newsletter especial.
Se queres apoiar, vê na coluna à esquerda como fazê-lo.

Se leste até aqui, acredito que não serás indiferente e que farás o melhor que puderes para apoiar este CIDADÃO EXTRAORDINÁRIO!

Grata por tudo o que escolheres fazer para o apoiar.


Cláudia Félix Rodrigues
www.1000caminhos.com

MARCAÇÕES:  93 533 4087 /  info@1000caminhos.com
 
Copyright © 2014 Cláudia Félix Rodrigues, Todos os direitos reservados.